segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Engano das palavras bonitas

Então os fariseus retiraram-se e decidiram entre si sobre como o apanhariam em alguma palavra.
E enviaram-lhe seus discípulos, juntamente com os herodianos, para dizer: Mestre, sabemos que és verdadeiro, ensinas o caminho de Deus segundo a verdade e não deixas que ninguém te influencie, pois não consideras a aparência dos homens.
Dize-nos, pois: O que te parece? É correto pagar tributo a César, ou não?
Percebendo a maldade deles, Jesus respondeu: Hipócritas, por que me colocais à prova?
Mostrai-me a moeda do tributo. E trouxeram-lhe um denário.
Ele lhes perguntou: De quem são esta imagem e inscrição?
Eles responderam: De César. Então lhes disse: Dai a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus.
Ao ouvirem isso, ficaram admirados; e, deixando-o, retiraram-se.”
Mateus 22.15-22

Postei todo o texto para melhor entendimento, mas esta reflexão é somente sobre a 2ª parte do versículo 16, que está em negrito. Belas palavras estão nessa frase, quanta lucidez saiu justamente da boca dos fariseus, os principais inimigos de Jesus, aqueles cegos que menos entenderam a verdadeira missão de Cristo.
Isso me faz pensar nas palavras de sabedoria de muitas pessoas, palavras postadas nas redes sociais, como o Facebook. Muitas dessas palavras falam até do Evangelho, de Deus, de Jesus, nos parecem profundas, mas será que vêm de corações que realmente conhecem a Deus?
Os fariseus não conheciam, então a lição é uma: cuidado, cuidado com livros que parecem falar de Deus, com frases que parecem conter sabedoria, podem ser armadilhas para esconder a verdadeira intenção de quem as profere, e conduzir, também ao engano, quem as lê e as divulga.
O texto que segue ao acima, Mateus 22.23-33, também mostra os fariseus continuando no intento de pegar Jesus em alguma incoerência. O texto fala sobre divórcio, mas Jesus, dessa vez, nem se deu ao trabalho de falar “tecnicamente” sobre o assunto. Ele ensinou algo superior, algo espiritual, além do que os fariseus estavam entendendo. Chama-me a atenção o versículo 29, que também responde à questão do pagamento dos impostos: “Jesus, porém, lhes respondeu: Este é o vosso erro: não conheceis as Escrituras nem o poder de Deus”.
Ah os falsos sábios, eles não sabem o que falam, sua sabedoria é engano, não são coerentes com eles mesmos e muito menos conhecem o poder Deus. Novamente lembro, cuidado com as palavras bonitas desse mundo, com o falso evangelho pregado por falsos profetas, nem tudo que reluz é ouro, como diz o velho ditado.
 .

Nenhum comentário:

Postar um comentário